crisjoshaff@gmail.com

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Quanto tempo... Quanta saudade...


Uma saudade de ti invade meus dias
A solidão paira sobre o tenebroso inverno das despedidas
Sua prolongada ausência invade meus dias
e o que antes me fazia sentir viva
Agora entropece a alma coma mesmice de sempre...
Queria poder ouvir o som da sua voz aos meus ouvidos...
Queria fugir com você lascivamente...
Queria estar contigo 
independentemente de quando e onde...
Cadê a ti que não pressentes minha dor?
Cadê a ti que não consegues mostrar-te diante de mim?
Eu permaneço aqui, 
absorta a caminhar pela praia deserta,
Em busca de mim, de ti, de Deus...
Em busca de um sonho, 
quem, sabe de uma esperança.
Quanta saudade, 
quanta vontade de te ver 
e me perder nos teus braços...
Quanto tempo, 
que distância... 
Que saudade!

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Espelho de sonhos


O espelho dos meus sonhos
Molda tua imagem
Desenha o mosaico  possível
Para o que resta de mim.

Reflete o desejo de estar nos teus braços
De beijar-te
E me deixar guiar pelas sensações
Por ti...

A saudade atiça a ausência
O desejo te traz inteiro nos meus sonhos...
E navegando nos mistérios
Sinto em mim... metamorfose...

Abro os olhos
O dia clareia lá fora...
“Entreabro a janela para te respirar”
Eu queria tanto não acordar desse sonho...

domingo, 26 de fevereiro de 2012

Despedida?!


Como uma águia
que alça voo rumo ao desconhecido
vejo-te partir dos meus sonhos...
Tu te preparas para desbravar mistérios,
transcender obstáculos
e ousar rumo ao futuro incerto
que se apresenta diante de ti.
Nosso reencontro foi um presente de Deus
a corações que já sofreram muito.
Sabe, às vezes,
as pessoas me perguntavam sobre o amor
e eu sempre respondia
que nunca tive sorte no que chamam de amor,
sempre amei as pessoas erradas
ou fantasiei demais,
mas, hoje, diante de ti,
eu sinto que estava enganada.
Deus me deu a chance de te encontrar,
de saber que almas gêmeas existem,
embora nem tudo seja perfeito.
Ele me permitiu  te amar,
de uma maneira que eu nem sabia que poderia.
Sei que muito do que sinto,
não passou de sonhos, ilusões e fantasias,
mas tudo isso tem uma imagem, uma voz, um nome...
O tempo passou...
A saudade invadiu meus intermináveis dias de solidão,
eu vi passar pessoas que me amaram 
como eu te amo
e nada pude fazer...
É chegada a hora de me despedir dos sonhos
para viver a realidade...
É preciso ousar,
alçar voo rumo a essência do que sou
e por isso deixo-te livre do meu amor,
que de tão imenso e intenso aprisionou-nos
e o amor verdadeiro precisa da liberdade 
para amadurecer,
para desabrochar,
para romper grilhões...
O amor precisa ser encontro e não despedida.
Precisa de caminhar na mesma direção 
e não mais fugir de si mesmo.
Deus, um dia, permitiu que nossos olhos se cruzassem,
que nossos corpos se tocassem
e que nossas almas se unissem,
tudo isso por amor,
mas há barreiras,
há um rio que nos corta,
que nos impede de estar juntos.
Precisamos seguir o curso do nosso caminho
e nesse instante ele se divide.
Talvez não possamos estar juntos nesta etapa,
mas eu queria que soubesses o quanto eu te amo,
do quanto eu sou grata a Deus,
por ter me permitido estar nos teus braços,
mesmo que por tão pouco tempo.
Afinal cada segundo do teu lado vale a pena!
Talvez daqui a muitos anos
eu me lembre de ti com saudade
como quem se lembra de um sonho bom...
Talvez quem sabe o destino
Coloque-nos sob o olhar perspicaz do outro,
quem sabe algum dia 
tu consideres que sou merecedora
de ti ou do teu amor.
Mas hoje, eu precisava dizer
que nós somos uma poesia que faz mágica,
a cada vez que nos abraçamos no olhar,
a cada vez que transpomos a distância
e nos tocamos.
O que tu semeaste em minh’alma e coração
não pode ser destruído,
será certamente transformado
e tu ainda ouvirás meu nome por aí,
ainda verás algumas palavras
que te lembrarão a mim...
Quanto a mim,
não se preocupes não estou só, 
lembra-te?
E nunca estarei...
Além disso, haverá sempre a certeza
de que em algum lugar longe dessas terras
há  um encantado olhar,
alguém que espera
e um amor além dos limites humanos
esperando para nos enlaçar,
envolver-nos,
preencher com luz e beleza
o nosso coração e a nossa vida.
Em tudo brilham as estrelas,
resplandecendo em nossas vidas,
ilumina-se uma nova aurora...
É tempo de colher e de semear novos ideais,
reina a verdade dos olhos que não se ocultam,
a luz dos que não se escondem,
a voz dos que não se calam,
a força daqueles que lutam,
a coragem dos que merecem a glória.
Tua luz expande os sonhos
que abrigas dentro do coração.
Tua alma brada uma nova esperança.
É tempo de mudanças,
de novos horizontes e de muitos sonhos.
Cada segundo é valioso
e não pode ser perdido ou desperdiçado,
porque pode não haver tempo
para reconstruir o que foi destruído.
Não se oculte nos medos,
porque pode ser tarde demais...
quando quiseres dizer a alguém
que valeu a pena...
Nunca deixe de dizer aos teus verdadeiros amigos
que eles são importantes para ti,
que te ensinaram muito,
porque teus caminhos se abrem para novos horizontes
e pode ser que não mais os encontres.
Não perca a chance de mostrar a todos
a tua coragem de vencer desafios,
mesmo quando tudo parece perdido...
Muitos se espelham em ti,
esperam a oportunidade de encontrar em ti
forças para prosseguir na árdua tarefa de viver,
como eu que me espelhei em ti
para encontrar meu caminho.
Tua grandeza afasta muitos de ti,
uns por quererem tua luz,
outros por não se acharem merecedores dela
e outros tantos por não encontrarem espaço
para se aproximarem de ti.
Eu sou um dos muitos admiradores teus,
não quero tua luz,
todavia quero poder tocar nela através de ti.
Não quero teu lugar, mas estar contigo,
sem se importar muito com onde seja.
Quero ver-te feliz
mesmo que não seja nos meus braços.
Quero ver-te voar
e desbravar os sonhos
que despertaste em  tantos que te cercam...
Amo-te muito, quero-te demais,
mas te quero livre,
como a águia dourada
que ousa voar sobre os sonhos que plantamos,
que não cisca o mesmo lugar,
mas vai atrás de um novo tempo e de um novo amanhã.
Quando me lembro de ti,
vejo um espelho a refletir a luz do sol,
a resplandecer coragem,
a bradar palavras que não podem silenciar ideais...
Quando olho para tua imagem diante de mim,
agradeço a Deus pelos momentos que pudemos viver,
foram intensos, autênticos e verdadeiros.
Nossos caminhos podem se dividir,
podemos até não mais nos encontrar,
mas haverá em meu coração sempre
alguma coisa que me lembrará de ti...
Gestos, palavras, toques, sabores...
desejos, medos, conquistas...
Sou um dos passantes do teu caminho,
tua conquista é muito maior do que os olhos podem tocar,
mas quero que saibas sempre,
que passei por ti, como uma vontade imensa de ficar.
Agradeço a Deus
a oportunidade de ter conhecido além do amigo,
o homem, que física e espiritualmente
faz-se autêntico e verdadeiro.
Que me ensinou que o ser humano
precisa despertar para um novo dia
e que fazemos diferença
quando utilizamos nossa capacidade de lutar.
Não pense que tudo isso é porque acredito
que não voltarás,
acredito que precisas encontrar o teu lugar,
há palavras que precisam ser ditas,
o ser humano tem necessidade das palavras,
às vezes de ouvi-las,
tantas vezes de proferi-las
e outras tantas de escrevê-las,
para que elas não se percam
na areia da lembrança,
mas se cravem na rocha dos corações dos que as leem.
No meu coração...
há um lugar especial guardado para ti,
como amigo,
como ser humano,
como homem,
como parte de mim...
O tempo pode afastar as pessoas,
mas não pode apagar as lembranças
e tu és especial demais
para ser esquecido assim tão facilmente.
Quero que saibas que torço por ti,
que rogo a Deus pela tua felicidade
e que sinto muita falta de ti.
Mesmo assim,
para mim foi bom, especial demais estar contigo...
Nos teus braços...
Ah, se me fosse dado o direito de sonhar...
mas existem pessoas que nasceram
para buscar o amor, não para encontra-lo...
Raros são os que verdadeiramente o encontram...
Talvez eu seja um desses...
Lutei muito pelos meus sonhos,
mas ainda não me foi dado
o direito de ser feliz
e, às vezes, eu ainda demorarei muito
para merecer essa dádiva.
Brilha alto,
resplandece a todos com tua luz
e permita que a chuva desperte teus sonhos
que nascem agora,
nesse novo tempo...
que a distância seja apenas 
um intervalo no pensamento
e que a saudade não permita
afastar lembranças e sonhos,
mas mantê-los
como chama incandescente em nossos corações.
Amo-te!... Amo-te...Amo-te!!

sábado, 25 de fevereiro de 2012

Arrepios


Desvairam quimeras,
Inúmeras sensações.
Loucos pensamentos,
Debandam em palavras
Os pássaros das ilusões...

Rasgam o azul do céu
As lembranças tuas.
Descortinando o véu
Das emoções nuas
Na fugaz voz que entoas.

O coração grita,
Ao silêncio brada .
Ao fechar dos olhos...
Voz se cala,
Numa esperança fala.

Sussurra versos,
Nos braços lascivos.
O anseio das mãos...
Dedilha devaneios,
Entrecortando beijos.

Nas bocas, sabor persiste...
Incendeia sonhos loucos...
Apenas com o olhar
Embriaga-nos o presente
Repleto de ardentes arrepios

Abrasam a pele
Suor reflete
O calor dos corpos...
Impede a razão
E aos desejos dá vazão.

Além das estrelas...
Explode nas pedras o clamor do mar
De nada vale os desejos
Nem a ânsia dos beijos
Se não pudermos amar!

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Elementos Existenciais


A lua desponta no céu.
As estrelas cintilam como brilhantes coloridos.
Ouve-se apenas a brisa suave,
que sopra o perfume das flores.
Tudo é silêncio...
De repente,
ouve-se algo mais,
 tomada de sobressalto
olho ao meu redor assustada.
Não vejo nada além dos quatro elementos existenciais:
Ar... Terra... Água... Fogo.
O ar, eu o sentia na brisa que trazia aromas silvestres.
A terra sorria às árvores,
cantando a canção da existência,
uma canção incompreendida,
mas demonstrada no vento e no tempo,
que pode colher-se tudo
que se planta,
 pois a terra é eterna e fértil.
A água, em cascata,
descia a montanha,
cintilando o prateado da lua
misturado a escuridão da noite.
O fogo ardia diante dos meus olhos,
como amantes incendeiam-se no calor de seus corpos,
buscando a perfeição
e o ritmo das chamas que luziam na fogueira.
Não se via mais nada,
 apenas o vento,
que como voz do mundo,
soprava palavras que eu não conseguia entender,
não havia ninguém,
e eu então pude perceber
que as palavras vinham de dentro de mim
e sopravam suavemente...
“...Eu sou a luz que clareia a noite escura,
sou a cor mais bela do arco-íris,
 sou o perfume mais suave da sua flor preferida,
sou a brisa que brinca com seus cabelos,
sou o agito das ondas no mar revolto,
 sou a calma das noites de lua,
sou o canto dos pássaros que o vento alteia.
Eu não sou nada...
Ou apenas um grão de areia na praia da existência.
Sou apenas parte do mundo esquecido,
que na verdade encontra-se adormecido sobre sua existência..
Eu sou tão pequeno,
tão humilde, simples e verdadeiro,
que sem mim não haveria sentido
para a existência do ser humano.
Sou tão forte quanto as rochas,
como os diamantes,
como os metais e o fogo.
Eu... sou você... E ele...
Sou os dois juntos...
Eu sou o amor.
O amor que desponta na vida de ambos,
que faz de vocês metade um do outro.
Eu sou o destino que une vocês
e os tornará um só sob bênçãos dos anjos divinos...”
De repente tudo silenciou...
Já não se ouvia nada,
a não ser os mesmos sons,
mas alguma coisa havia mudado em mim.
Eu sabia que não haveria mais nada,
se não houvesse você para fazer parte da minha vida.
Eu tinha plena certeza do amor,
porque nesse sonho me foi revelado todos os outros.
Só haverá outros, se antes houver você...
Queria que através das minhas palavras
você pudesse entender a linguagem
que o mundo nos fala,
basta parar um pouquinho
e ouvir nossos corações.

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Minh'alma de poeta

Minh'alma meio poeta, 
despertou com vontade 
de acordar lembranças esquecidas
no livro da memória, 
com vontade de vivenciar sonhos, 
que já nem mais existiam, 
de rir de coisas tristes,
de corrigir erros
que não devem mais acontecer, 
de reaver o plano da criação
que se perdeu 
entre as coisas tristes e belas da vida.
Esse poeta que existe dentro de mim
grita ao mundo palavras de amor, 
chora junto com os inocentes, 
sente pena dos fracos de mente, 
de coração e de alma, 
é feliz com as pequenas coisas da vida, 
como o desabrochar de uma rosa, 
o despertar de um dia, 
ou o riso terno de uma criança. 
Minha alma cobra ao coração
 um grito de amor 
para que as palavras possam ir 
através da existência humana 
e tocar no fundo do coração dos homens 
para ver se assim 
o homem renasça em sabedoria, em verdade e em amor.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Razões do coração



A vida se divide em duas metades
que em nós se unem,
mas ficam deveras separadas por diferenças fundamentais.
Tem momentos na vida
em que dúvidas nos cercam.
Como não podemos viver
entre dúvidas e incertezas,
cobramos de nós mesmos
a resolução dos nossos conflitos.
Tantos são os momentos;
e só a razão decide o que é certo ou errado,
tantas verdades são ditas para provar a realidade.
Fazendo da razão o instrumento maior
para resolver nossas dúvidas,
tornamo-nos um tanto quanto racionais,
bastante frios e calculistas.
Esquecemos que nem sempre
é possível entender tudo com racionalidade e frieza...
Precisamos de ser humanos.
E o ser humano é importante
porque é capaz de sentir, de emocionar-se.
Precisamos, em certas dúvidas, acreditar
em nossas próprias emoções,
porque na verdade a razão contradiz a emoção
(e vice-versa),
mas não podemos ser chamados de seres humanos,
sem sermos capazes de emocionarmos.
Há momentos que o amor nos sensibiliza
e esquecemos a razão
para deixar que as razões do coração 
possam fluir em nós.
Quando se ama
a razão perde sua maior importância,
a importância de decidir por nós;
é preciso olhar mais longe,
onde a razão não pode chegar,
onde podemos sonhar,
acreditar nos sonhos e em nossos sentimentos.
O coração sabe que quando se fala de amor,
não existe nada que ele não saiba interpretar,
existe uma sabedoria infinita
que a própria razão desconhece.
Afinal, o coração tem razões
Que a própria razão desconhece!

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Alma de minh’alma


És tu, agora eu sei,
És minha alma gêmea.
A metade que procuro por tanto tempo,
Dentro da eternidade maior de almas que se amam.
Meu amor por ti tem dimensão celeste e infinita.
Talvez tu não tenhas compreensão necessária 

para entender do que falo.
Querido... 

Meu amor...
Sinto tantas vezes em meio a minha tão imensa saudade,
Vontade de chamar-te... Meu amor...
Mas tantas vezes, me perco em meio as tolices 

que me impermeabilizam .
Acabo por não dizer o que de mais belo existe em mim.
Sei que podes até não me amar assim,
Mas nasci mulher e aprendi a amar com a força das estrelas
Não consigo mais guardar dentro de mim

amor tão imenso assim.
Talvez tenha feito eu escolhas para esta vida,
Talvez tu estiveste entre elas,
Mas tudo que sinto no fundo do meu coração...
É que nasci para te amar,
E te amo hoje e sempre,
Como mulher e como ser humano.
Meus olhos tem lágrimas de saudade
Sinto a pele queimar de desejo e saudades de ti.
Ah...! Quanta saudade de ti... Te amo!