crisjoshaff@gmail.com

sábado, 12 de novembro de 2011

Arquétipo de Palavras


Os sonhos são turvos.
As lembranças não são nítidas.
As vozes se mesclam
Nesse sonho que busco entender.
 
Queria compreender,
Mas talvez ainda não possa saber.
Pedi respostas
e me trouxeram palavras...

 Palavras ao léu...
Fragmentadas e incompreensíveis,
Verdadeiras e profundas...
Perdidas, escondidas em mim...


“Cuidado com as palavras,
Elas são armas preciosas
Que nos conduzem ao inferno
E nos levam ao céu...”

 As palavras certas precisam ser ditas
De maneira precisa, de forma clara...
Para que se desfaçam enigmas,
E se esclareçam sonhos.


“As palavras são parte de você
A parte mais forte, que não aceita controle,
Que não permite domínio,
Que não pode nem deve se calar.”

 Permita-se ouvir a voz dessas palavras
Que por muito tempo negou...
Permita-se reconhecer a voz da alma que lhe inspira...
Permita-se sorrir para o profundo e o insondável.

Permita os enigmas,
Desvende-os.
Permita as palavras
Ouça-as, diga-as, cale-se.
 
Muitas vezes precisamos contemplar o silêncio,
Às vezes, é preciso falar...
Buscando as palavras que não foram ditas
E que se escondem naquele olhar triste...
 
As palavras dedilhadas aqui
São reflexos sonhados, desejos roubados...
Do passado e de agora,
Da história e da memória.

 As palavras precisam de você
Aqui se fazem metáforas...
A palavra da qual você precisa
Ali, se pinta no espelho, apenas para você.
 
As palavras existem para delinear emoções
As certas são poucas...
As possíveis são tantas...
As simples mais verdadeiras.


As palavras são presentes para você,
Que em ágeis movimentos transporta-lhe aos sonhos,
Elevando no toque as nuanças perfeitas
No som a canção mais suave...

Ouça as palavras do coração
Que cantam aos ouvidos seus
Desejos, medos, suspiros, certezas...
Não tema o tempo, nem as vozes...

 Ouça o sopro do vento...
Sinta a perfeição das palavras
Que em forma de flores vos damos
São dádivas, que se farão maiores ainda.

São pedaços seus,
Fagulhas do agora,
Cacos do passado
Frangalhos meus...
 
Palavras há de ter...
Palavras para encantar tantos
Para fazer pensar
Para fazer sonhar...

Palavras há de ouvir...
Dentro do seu coração...
Quando a coragem revirar o passado...
E encontrar as palavras (mal)ditas...

Que ainda ferem...
Que ainda choram...
Que ainda queimam...
Que ainda se desmancham...


Eis aqui a súplica das palavras
Pense antes de dizê-las
Mas não se cale diante da necessidade de serem ditas,
Seja arquétipo das palavras certeiras e perfeitas... 

Que infiltram na alma a música
Que permitem dançar a esperança
Suspirar de saudades
Enfim desvendar mistérios e tantas verdades!


Nenhum comentário:

Postar um comentário