crisjoshaff@gmail.com

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Aquarela de Sonhos

           Mergulho por entre as obras dos grandes poetas e essa arte de sonhos, desperta o ambicioso poeta que em grita...
          O poeta que sou tem acordado repentinamente nos sonhos, quase sempre invadidos pelas tuas lembranças.
          O poeta que sou é ou tem um pouco de ti registrado em suas memórias, porque tua presença permanece, mesmo quando a pintura do cenário dos sonhos já se modificou.
          Tua luz, refletida no espelho dos teus olhos, serve para apontar a cinza que constrói os meus dias. Talvez seja essa tua paixão pela arte, essa leveza das formas nos  muitos matizes das cores pintadas, que os nossos momentos ativam em minhas lembranças.
          Devo parecer uma tola incorrigível, mas sinto necessidade em confessar-te o que sou, o que sinto... não almejo as estrelas, mas as amo. Não almejo a beleza das flores, mas sou inteiramente apaixonada pelo perfume que exalam. Não almejo ser poeta, mas amo a arte, amo a arte da poesia nas muitas nuanças das palavras, amo escrever e poder assim tocar no papel com as muitas formas que tenho... Enfim não almejo chegar tão longe, mas quero chegar aonde me for permitido...
          Tenho receios de que me esqueças nos cantos desfeitos dos medos, mas mesmo assim... te quero...
          Quero-te mais perto, como queria nesse instante o tom sensual da tua voz para afastar o silêncio que me invade e perturba a alma.
          Quero poder infiltrar-me na tua alma, através de um mergulho do olhar que nos permite conhecer o presente e perpassar o futuro.
          Quero ouvir tuas histórias e revelar-te outras tantas que guardo na arca inviolável do tempo.
          Quero-te aqui, com o teu dedilhar apressado, com teu desejo aflorado em mil beijos roubados.
          Quero-te homem, que como menino não tem medo de viver.
          Quero-te hoje, mesmo longe, porque tu estás em mim de uma forma que as palavras não conseguem precisar.
          Procuro ver na vida sempre as coisas belas, nas pessoas as coisas boas e em ti... gostaria muito de entender o que te faltas para ser feliz... porque há algo que te impedes de ser feliz, só não consigo perceber exatamente o que seja.
          Sei que tu exiges demais dos que te cercam, mas como eu tu cobras demais de ti mesmo e isso muitas vezes nos faz sentir frustrados, tolos, fracos e pequenos.
          Nem sequer percebemos que somos tudo isso, mas porque escolhemos sê-lo, escolhemos esse caminho no meio de tantos desatinos, escolhemos cada detalhe que nos compõe, que compõe a nossa atual aquarela.
         Conflitos, medos, desespero são pedras que precisam ser reformuladas, para que possamos merecer o que realmente somos.
         E esse presente Deus nos dá a cada dia que nos permite abrir os olhos e ver o sol nascer, a cada instante que vemos uma criança sorrir, em cada lágrima de despedida que nos rouba os sonhos...
          Hoje, tudo que quero é que o meu poeta sopre minhas palavras ao ouvidos teus, para que saibas que em algum lugar, mesmo num tempo remoto... há alguém que espera por ti, que te quer pelo que és em essência, pela grandeza que tens no fundo d’alma, pelo que vês ao tocar o futuro.
          Alguém que te quer apenas pelo que és, assim como és, porque tu és lindo, um ser humano maravilhoso, um homem envolvente e deveras sedutor. 
           Eu sou apenas alguém que pode apenas soprar sonhos, que pode até roubar-te alguns, mas um alguém que te espera junto à luz da lua, à procura da imagem que os teus olhos pintam no presente, porque eu não sei quem sou, mas desejo que a nossa aquarela não seja apenas de sonhos, mas de momentos tantos, de cores belas e de perfumes raros... 
          Tudo que quero e desejo é que sejas feliz, mesmo que não seja nos braços meus.




Nenhum comentário:

Postar um comentário