crisjoshaff@gmail.com

domingo, 8 de abril de 2012

Em Mim...Um Poeta


O poeta que existe em mim
busca palavras na luz dos olhos teus.
Tua ausência ofusca-me
na saudade dessa tua luz.
Esse poeta que em mim desperta
sofre no abandono da tua presença
e no silêncio da tua voz.
Ama-te como jamais amou
e sabe que não poderá ser verdadeiramente feliz
sem a luz do teu olhar.
Não te tem e talvez nunca te terá,
no entanto aceita esse amor tolhido na dor e na saudade.
Esse poeta que desponta no horizonte dos sonhos
busca a luz da tua alma...
Chora na solidão de noites frias
e desabrocha sorrisos nos teus braços.
Poeta que sonha contigo,
acordado e perdido nas lembranças e devaneios,
que descortinam a saudade.
Esse poeta de sonhos e palavras
perde-se tentando sintetizar
o que não se pode explicar.
O poeta que sou é luz
para os que não conseguem percebê-la;
revela paixões aos desiludidos,
impulsiona os que não acreditam mais em nada,
tornando assim grandioso em suas palavras,
mesmo minimizadas nas emoções.
Poeta de tantas faces
desdobra-se em muitos,
demonstrando várias personalidades.
Poeta esse,
que não me permite te esquecer,
reavivando lembranças tuas a cada instante.
Entretanto preciso deixar aflorar a razão,
que explode em palavras,
despertando-me para a realidade.
Não deixarei de te amar,
mesmo porque não temos controle de nossas emoções.
Mas, com certeza,
sofrerei menos em tua ausência...
Desacreditado no silêncio de palavras de amor...
O poeta em mim sofre como nunca.
Meu olhar no teu se reconheceu,
Viu o que mais belo há no ser humano:
A capacidade de amar.
No entanto, necessito também de ser amada.
Amor é entrega total,
doação,
companheirismo e compartilhamento.
Não quero que me deixes,
mas que me permitas buscar a minha felicidade.
Talvez até esteja contigo,
nos teus braços...
Mas enquanto houver divisão
não saberemos ao certo de nada.
Esse poeta busca palavras entre sonhos,
deseja ardentemente tua luz,
nesse encontro de amor...
Sabe bem que não pode mais deter a liberdade,
sem destruir aquilo em que mais acredita.
O poeta que existe em mim
não te esquecerás jamais,
nem deixará de te amar um segundo sequer...
Porém precisa “navegar...
por mares nunca dantes navegados”.
O poeta que vive em mim
clama teu amor,
tua presença
e sofre na saudade da tua ausência,
Mas, sabe que ainda poderei ser feliz
independentemente de ti.
Afinal a felicidade está dentro de nós...
Seria perfeita se pudéssemos dividi-la
com aqueles que amamos...
Porém somos imperfeitos,
desmensurados...
e nossa felicidade
mesmo que em centelha
brilha lá no fundo  de nossa alma errante!

Nenhum comentário:

Postar um comentário