crisjoshaff@gmail.com

domingo, 9 de fevereiro de 2014

Travessia

Página vazia de sonhos
Por onde perambulam enigmas
Esgrimam-se desejos
Duelam máscaras
Segredos

Doce som a acariciar a alma
Voz imponente
Que me pede calma
De outras eras
Ah...  Quimeras

Meus versos divagam ao léu
Atiram-me ao abismo sem fim
Fazem-me tocar o céu
Transbordam-se em mim
Tão piegas
  
Ao mergulhar na arca do tempo
Sinto o sabor acre
Pedaços de mim
São levados pelo vento
Ah... triste lamento

Despejo-te versos
Sem métrica, rima ou encanto
Sou o grito, o espanto
O riso e o pranto
Mero acalanto

Estou aqui
Sim... sou eu
Sussurro-te memórias
Estamos em tantas historias
Psiu...

Palavras em travessia
Algumas pronunciadas
Outras silenciadas
Pura dicotomia
Poesia


Nenhum comentário:

Postar um comentário