crisjoshaff@gmail.com

quinta-feira, 23 de maio de 2013

Jardim de metáforas





A voz do poeta sussurra palavras
E eu suspiro quimeras...
Debulho em versos...
Restos de outrora...
Que me trazem alento,
Que se fizeram tormento
Lá fora ou aqui dentro?

Metáforas desfolhadas em metas...
Fora do sonho despejo-as em  pétalas...
Delicadas e ainda perfumadas...
É a antítese da vida...
Vivida... dividida... em sua perfeição:
Suavidade, encanto, frescor...
Espinhos que trazem dor...

Palavras que selam o silêncio...
Calam a voz que ecoa em mim...
Paradoxos  do eu intermitente
Que invariavelmente persiste
Em adentrar a alma e seu jardim...
Às vezes... com lágrimas...  o rega ...
Noutras...   em silêncio... o nega!

Nenhum comentário:

Postar um comentário