crisjoshaff@gmail.com

terça-feira, 19 de junho de 2012

Marcas do tempo


As marcas do tempo
Tingem os cabelos,
Fincam-se pele,
Enfraquecem o corpo.

Tudo passa...
Mas em nós,
Lembranças insistem...
Persistem...

Reviram a memória,
Encurtando a distância...
Diminuindo a ausência...
Construindo nossa história...

Foram poucos momentos...
De nós...
Meros fragmentos...
(Des)pedaços...

Hoje tantos são
Os tormentos...
Cacos de cristal
Despedaçaram-se...

Sobrou-se tão pouco...
Um pouco de mim
Foi-se contigo...
Aquietou-se em ti...

Sinto tanta falta...
Não sei se de ti...
Ou do que eu era
diante de ti...

Sinto saudades...
De tudo...
De ti...
De mim... quem sabe...

Fiquei em algum lugar
Da estrada deserta...
Teus olhos se perderam de mim...
Tua voz silenciou meus sonhos...

E eu me vi só
Em meio a tantas tempestades
Revirando meias verdades
Juntando um pouco mais de pó....

4 comentários:

  1. Lembranças que nos acompanham no passar do tempo...
    Que belo poema.
    Um beijo

    ResponderExcluir
  2. Olá, querida
    Vc evoca tantas lembranças: umas saudáveis, outras, nem tanto... mas importa sim recordar e tornar a viver o que foi bom!!!
    Seja feliz e abençoada!!!
    Bjs de paz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Somos lembranças, saudade, presente e passado! Nem tudo é bom, mas faz parte de nós! Obrigada, Orvalho do Céu, seja sempre bem-vinda!

      Excluir