crisjoshaff@gmail.com

quarta-feira, 14 de maio de 2014

Fruição



Perambulando pelas entrelinhas
Busco à luz do sonho
O gosto do pecado sacrossanto
Corporificado nas palavras

À espera do encontro
Espreito percepções ignotas
Sentidos em uníssono
Sensações em fina sintonia

Contornando de presença a ausência
Tateio às cegas
As formas quase imperceptíveis
Dessa insana saudade

Imagino quimeras
Visualizo vivências
Rituais esmaecidos
Equinócios perfeitos

Insights intensos
Silentes serpenteiam
Deslizam lentamente
Na ampulheta da memória

"Desejo sempre exposto"
Todo: delírio existencial
Verdades insistentes
Personificadas em nós

Nessa fruição de amor possível
Aconchega-se úmida e caliente 
Onipresença vivificada
Sós desfazem nós

Um comentário:

  1. Maravilha, obrigada por compartilhar conosco essa sensibilidade fantástica. Muita proteção Divina!

    ResponderExcluir