crisjoshaff@gmail.com

quarta-feira, 16 de março de 2016

Anjo Barroco


Menino de olhar perdido
(Des) encantado
Alma errante silenciada
Será mesmo anjo?
Caído ou decaído?^
Quem sabe um querubim?
Anjo brincalhão
Que duela com palavras
Poeta (des) mistificado
À margem de si mesmo
Estarás à sombra?
Ou apenas preferiste fechar teus olhos?
Esqueceste tuas asas
E a capacidade inexorável de voar?
Torto, (in) conformado, (im) completo...
Vieste humano inacabado
A tentativa de se perfeiçoar
E como num espelho
Ao outro poder se afeiçoar
Abra-te ao novo
Atira-te ao abismo
(Des) conhecimento
Volta a sonhar
Afasta-te do medo
Esquece o que te assombra
Levanta teu olhar
Não precisas ser anjo
Muito menos barroco
Não te deixes mergulhar no pântano das ilusões
Nem aceites apenas silenciar, calar-te...
Enxerga, pois, a luz que há em ti...
Seja quem tu és...
Em essência...
Em verdade...
Homem, menino, humano...
(Im) perfeito feito todos nós!